Batman Anual 3 (capa)Escrevi meu post sobre The Umbrella Academy: Dallas empolgado como costumam escrever os que descobrem algo fantástico e que precisa ser compartilhado com o resto do mundo. Tão empolgado que enchi o texto de spoilers.

Precisei do aviso da quadrada Oráculo pra perceber o deslize e da ação tempestiva do quadrado Lucas para colocar um aviso de spoiler no título do post antes que mais alguém tivesse o prazer de sua leitura de The Umbrella Academy: Dallas estragado pela minha empolgação. De lá pra cá li coisas empolgantes sobre as quais gostaria de falar: Mágico Vento, J. Kendall – As Aventuras de uma Criminóloga e a fantástica Cripta volume 1 mas, para evitar spoilers, vou falar sobre uma coisa que ainda não li: Batman Anual 3.

Detective Comics 168 (capa)Em A Sombra do Batman 10 vi a chamada para “A Sangrenta Origem do Coringa” e me lembrei das origens já conhecidas do nêmesis do Cavaleiro das Trevas: humorista fracassado (nos quadrinhos), mafioso (no filme de Tim Burton –1989) e de origem genialmente indeterminada (no filme de Christopher Nolan – 2008). Claro que fiquei curioso pra saber como o roteirista Michael Green (que também escrevia para o seriado Heroes) vai contar esta história.

Quando foi criado por Bill Finger e Bob Kane em 1940, o Coringa era um vilão que assaltava joalherias e matava pessoas, mas não havia qualquer tipo de informação sobre sua origem. Mesmo tornando-se o principal antagonista do Batman nos anos seguintes, o Coringa só ganhou uma origem oficial em 1951, com texto de Bill Finger, na revista Detective Comics 168. Em "The Man Behind a Red Hood" o Coringa finalmente revela a Batman e Robin como se tornou o príncipe palhaço do crime.

A Piada Mortal (capa)Esta história foi recontada por Alan Moore (roteiros) e Brian Bolland (arte) em A Piada Mortal, obra premiada em 1989 com o Will Eisner Awards (escritor, desenhista e álbum gráfico) e com o Harvey Award (história, álbum gráfico, desenhista e colorista). A Piada Mortal é até hoje considerada a obra definitiva sobre a origem do Coringa e acredito que a genialidade de Moore fará com que ela ainda o seja por bastante tempo.

Se você quiser conhecer a história de 1951, corra até a banca mais próxima pois a Panini republicou "The Man Behind a Red Hood" na primeira edição de DC + Aventura. Já pra ler A Piada Mortal (obrigatória para fãs do Homem-Morcego) vai ser necessário garimpar em algum sebo ou pegar emprestado de algum amigo.

Não sei se a origem que vai ser narrada em Batman Anual 3 é uma retcon ou alguma história do tipo elseworld, e também não imagino que surpresas (ou desgostos) essa nova origem do Coringa pode trazer, mas se a história for empolgante com certeza escreverei sobre ela. Espero não ter estragado a leitura de ninguém, boas leituras!

Conrad Veidit, o ator cujo rosto inspirou a criação do Coringa

 

 

 

 

 

 

 

 

— Sergio Barretto teve um passado nebuloso sobre o qual nunca fala. Ninguém sabe ao certo o que ele fazia, mas alguns indícios de ações secretas e aterradoras já desestimularam muita agente a continuar investigando. Hoje é um homem sério, cumpridor de seus deveres e apaixonado por histórias em quadrinhos desde que se entende por gente, e a cada ano faz mais tempo que ele se entende por gente. Faz parte do Quadro a Quadro desde sua criação e costuma ser gente boa, mas as vezes passa a impressão de que seu passado sombrio pode retornar a qualquer momento, pondo a todos em perigo.