Foto_BernardoPor Bernardo Machado*

* Bernardo Machado é convidado do Quadro a Quadro. O conteúdo desse post expressa a opinião do autor, que é plenamente responsável pela mesma.

 

 

Quando comecei a usar um leitor de feeds (saudades, Google Reader!), pude filtrar e organizar, num lugar só, as notas, notícias e postagens que eram publicadas e me OGLAF #1interessavam, reservando, claro, uma seção só para as webcomics. Desde então, venho sendo muito feliz: tenho, praticamente todos os dias, várias leituras gostosas, rápidas, bem perto e atualizadas sozinhas!

Alguns desses quadrinhos eu já acompanho há alguns anos, como Penny Arcade e xkcd – publicados às segundas, quartas e sextas –, A Softer World – nunca publicado às sextas e de quem já falei por aqui –, Bufas Danadas e o pintinho – que publicam sempre que podem –, e Tri/p e The Perry Bible Fellowship – que, na falta de uma frequência melhor, publicam quando querem, gerando em mim um certo frenesi quando vejo que tem coisa nova no ar. Mas, o assunto hoje é uma webcomic que só atualiza aos domingos e é perfeita como leitura dominical: Oglaf.

Criada e mantida pela dupla Trudy Cooper e Doug Bayne, "começou como uma tentativa de fazer pornografia. quase que imediatamente retrocedeu para uma comédia sexual", como diz o aviso de "proibido para menores" no início do site. O formato costuma ser de uma pequena página, vez ou outra estendendo para mais, com histórias isoladas e alguns poucos personagens recorrentes – perfeito para começar a ler de forma aleatória. Felizmente, também, nem só da abundância de – desculpem-me a franqueza – putaria vive o Oglaf.: por alguma razão, resolveram associar ousadia com fantasia medieval, abrindo espaço para todo tipo de maluquice envolvendo magos, feitiços, espadas e criaturas estranhas. Nessa mistura de gêneros, já rolou esperma com vida própria, aranhas gigantes que praticam sexo oral na calada da noite, mulheres de três seios, guerreiros brutos que resolvem tudo no anal, e a solução de um problema matemático envolvendo inverter um pênis. Doido, né?

OGLAF #3

Oglaf é pra quem procura um pouquinho de sacanagem, sem preconceitos – afinal, tem homem com homem, mulher com mulher, humano com criatura… –, pra quem se amarra numa fantasia – sexual ou não – e curte um RPGzinho e uma boa risada!

Nota: optei por um post com imagens sem putaria – para que fosse possível ler no trabalho, em público etc. (quanta consideração!) –, mas a putaria é fácil de encontrar.

OGLAF #5

————————

Bernardo Machado faz Letras e pesquisa o cartunista Robert Crumb, no NEG(A), o Núcleo de Estudos do Gênero (Auto)biográfico; tem uma tatuagem de balão de fala e é constantemente perguntado se nunca vai escrever nada dentro.

 

— Guido queria ser um personagem de histórias em quadrinho. Depois de ler Will Eisner se contenta em ser um personagem de uma história sem quadros.