Pensei duas vezes se devia ir assistir o novo filme do Quarteto Fantástico.

Me ajeitei na cadeira, entre meus amigos Lucas Pimenta e Edimario Duplat, e me preparei para ser surpreendido, mas não foi dessa vez.

OS EFEITOS

A única coisa que garante a permanência na sala, são os efeitos especiais, menos na primeira cena de vôo do Tocha Humana, que parece ter sido feita as pressas.

Devido as tecnologias atuais, quarteto é um filme onde os poderes são usados o tempo todo. O Tocha ficou bem legal em chamas, e Sue e Reed mostram que invisibilidade e elasticidade têm seu espaço.

O Coisa é um caso a parte, as vezes parece mal feito, as vezes fica legal em cena, particularmente não gostei desse visual, e o fato de não usar calças ou short me incomodou (como ele poderia se relacionar com Alicia?).

AS ATUAÇÕES

ffourinttrailer-imagem01

Reg E. Cathey se destaca, no papel de Franklin Storm (pai de Sue e Johnny), Tobby Kebbell até se sai bem como Doutor Destino, mas o roteiro malfeito prejudica ambos personagens.

Miles Teller não atua como o Senhor Fantástico, mas uma versão dos seus últimos personagens no cinema.

Kate Mara e Michael B. Jordan são rasos como uma piscina de mil litros e não parecem Sue e Johnny Storm em momento algum.

Jamie Bell lembra o Coisa, mas é outro personagem afetado pelo roteiro falho.

A HISTÓRIA

quarteto5

Essa parte contêm alguns spoilers.

A trama mostra Reed ingressando na fundação Baxter.Junto com Sue Storm, Victor Von Doom e Johnny Storm, consegue criar uma máquina que teleporta para outra dimensão. 

O governo quer usar a máquina, então eles decidem se teleportar antes para serem os primeiros exploradores do lugar. Reed convida Ben Grimm, que estava em casa de bobeira, para entrar numa instalação com projetos secretos, em plena madrugada, e o porteiro libera a entrada (o que me fez pensar que a culpa de Ben ter se tornado o Coisa, não foi do Reed, e sim do porteiro que desempenhou mal sua função).

Num misto de ignorância e curiosidade, despertam uma entidade energética da outra dimensão. Reed, Johnny e Ben conseguem voltar, mas Von Doom aparentemente morre. Sue é afetada por uma descarga de energia com o retorno dos outros.

O roteiro usa como base a versão ultimate do Quarteto. Mas não desenvolve os personagens, Reed Richards não parece um gênio e sim um cara que descobriu o teleporte e não teve mais nenhuma ideia.

Além das outras falhas, duas coisas me incomodaram mais do que o normal, a dualidade Reed/Victor, aqui não é uma rivalidade intelectual, e sim uma disputa pela afeição da Sue Storm, e o Doutor Destino, outra vez mal adaptado para o cinema, tornando o personagem indefinido tanto na personalidade e história, quanto nos poderes.

quarteto_doom

SALDO FINAL

A parte mais emocionante do filme, foi um dos meus amigos entrar em pânico por causa de uma barata (ou outro inseto), que passou voando pela luz do projetor.

Quarteto é um filme para ver por curiosidade, em casa. Os fãs deveriam seguir o pedido de boicote e não assistir, quem sabe assim os direitos voltam para MARVEL, nós garantindo um filme digno, com uma qualidade maior e integrado com o universo a que pertence.

P.S: Nem vou comentar os uniformes.

P.S.2: Os Incríveis continua sendo a adaptação que mais lembra o Quarteto Fantástico.

 

— O Dan é desenhista, designer, gamer e herói suburbano. Dan is a Cartunist, designer, gamer and underground hero.