Ao que tudo indica, reportagens em quadrinhos são uma tendência. Tema de uma mesa temática na 2ª Jornada Temática de Histórias em Quadrinhos, quadrinhos jornalísticos ou reportagens em quadrinhos têm sido utilizadas em publicações de grande circulação como jornais e revistas.

O professor Paulo Ramos, anfitrião do evento que ocorreu na Unifesp de Guarulhos em julho deste ano, afirmou que limitar este estilo de fazer quadrinhos a um rótulo pode ser um erro, pois nem toda HQ que possui conexão com a realidade é necessariamente jornalística. Existem várias formas de se narrar uma notícia e uma delas é por meio de quadrinhos, sejam eles uma reportagem, uma crônica ou uma manchete retratada em tiras.

parada-lgbt-2016-2

Dois artistas que têm se dedicado às reportagens em quadrinhos e que tive a oportunidade de conhecer os trabalhos, são a Carolina Ito, de Marília, e Robson Villalba, de Curitiba.

A Carol confeccionou seu TCC sobre o vale do Jequitinhonha, MG, em HQ. Estilhaço conta com traços simples e uma narrativa forte, onde ela registrou o que viu quando esteve em um dos lugares mais pobres do país, também conhecido como “Vale da Miséria”.

Quando terminei de ler, confesso que fiquei triste, com uma sensação de impotência diante das desigualdades tão típicas do Brasil e pelos textos da Carolina, é perceptível que essa experiência a tocou profundamente também.

capa

Além da HQ Estilhaço, ela também publica na revista TRIP, Caros Amigos e mantém a página Salsicha em Conserva. Recentemente cobriu a parada LGBT de São Paulo e registrou o que viu em uma reportagem em quadrinhos que pode ser conferida aqui.

O trabalho do Robson também tem um tom investigativo, do tipo que se não fosse publicado em um jornal de grande circulação, poderia lhe render represálias justamente por conter denúncias de caráter político. Um deles fala do ataque covarde autorizado pelo governador do Paraná aos professores que faziam greve em Curitiba e que ficou conhecido como a Batalha do Centro Cívico.

É impossível ler o trabalho de Robson e não sentir revolta diante dos fatos. A opção do jornal Gazeta do Povo por retratar eventos polêmicos em HQ confere aos acontecimentos um ar certamente mais dramático do que as palavras conseguiriam alcançar.

robson

Outro trabalho de Robson pro mesmo jornal narra a polêmica renúncia do presidente do Paraná Clube e que pode ser conferido aqui. Com traços que lembram muito o estilo de quadrinhos mainstream que inspiraram artistas como Andy Warhol, Robson cutuca algumas feridas que muita gente preferiria que permanecessem intocadas.

Se no século passado os quadrinhos nos jornais exerciam uma função didática de dialogar com quem não dominava muito o idioma, hoje sua função no jornalismo é bem diferente: textos e imagens denunciam problemas, promovem crítica e propiciam reflexão sobre um cenário que nem sempre é positivo, mas que precisa ser abordado.

 

 

 

 

 

— Dani Marino é formada em Letras e ainda não decidiu se prefere viver no Sonhar, em Nárnia ou em Hogwarts.