Se um rolo de papel higiênico pudesse falar, o que ele diria? A pergunta que parece absurda foi o pontapé inicial para a criação do livro "Objetos InAnimados", com relançamento esse sábado, 01/09 na Gibiteria, pelo cartunista carioca Guilherme Bandeira.

Com diálogos simples e bem-humorados, o livro é composto por diversos cartuns e tirinhas, cada um deles formando uma história completa. Grampeadores, velas, torradeiras, vassouras e pregadores de roupas são alguns dos objetos curiosos que vão expor a sua personalidade e os seus sentimentos.

O traço despretensioso de bandeira convida o leitor a exercitar a sua imaginação em cada uma das situações. Afinal, quais seriam os desejos, medos e sonhos da sua velha escova de dentes? E do espelho do seu banheiro?

Depois dessa leitura, você nunca mais verá os objetos com os mesmos olhos. Alías, cuidado com a cadeira onde está sentado agora! Ela pode estar reclamando do seu peso ou do tempo em que passa nela. Mas, se estiver deitado em sua cama, pode estar ganhando um abraço bem gostoso e nem estar percebendo….

Como extensão da obra, o autor criou o blog "Objetos InAnimados". Atualizado semanalmente, nele, os internautas terão um aperitivo do que encontrarão no livro e também poderão conferir alguns desenhos inéditos.

Serviço:

Livro: Objetos InAnimados

Autor: Guilherme Bandeira

Páginas: 60

Tamanho: 21 x 19 cm

Preço sugerido: R$ 25,00

Sobre o autor:

Guilherme Bandeira é cartunista, publicitário e designer gráfico. Começou sua carreira aos 16 anos, desenhando para jornais e revistas no Rio de Janeiro. Na internet, o escritor é conhecido por seu blog "Fandangos Suicida", em que narra as tentativas de morte de um salgadinho que perdeu a sua amada.

É também o autor do blog "Olha que Maneiro", premiado na categoria Variedades/Júri Academico do Top Blog, que traz links curiosos, dicas de produtos e trabalhos interessantes presentes na web, além de manter sempre atualizado o blog "Rabiscos", com diversos tipos de desenhos.

Confiram!

— Lucas Pimenta queria ser Martin Mystère. Não queria uma pistola de raios e sim a capacidade de enrolar uma noiva da mesma maneira...