biblio-keli-capaGustave Doré, Walter Crane, Jack Cole, Will Eisner. Estes foram apenas uma amostra de grandes nomes da Ilustração e dos Quadrinhos citados em um bate-papo com Janaina Tokitaka, escritora, autora e ilustradora de Tem um Monstro no meu Jardim (Escrita Fina) e Escamas (Cortez), e Rafael Campos, quadrinista de Deus: Essa Gostosa (Companhia das Letras) e ilustrador de O Golpe de 64 (Três Estrelas). O evento foi na biblioteca Raimundo de Menezes, em São Miguel Paulista – extremo leste da capital paulista, em 20/05, mediado pelo editor Joaquim Toledo Jr.

Janaina, que tem no currículo trabalhos direcionados ao público infanto-juvenil, iniciou a conversa, fazendo uma viagem pela trajetória da Ilustração, desde os Chapbooks (pequenos livros com contos populares – séculos XVI-XIX), passando por clássicos da Literatura, como Chapeuzinho Vermelho e A Bela e a Fera, até os estilos atuais.

biblio-keli-9Destacou Escamas, obra baseada em uma de suas histórias infantis que mais aprecia, A Pequena Sereia. Ela usou a técnica da aquarela para compor as páginas, dando um tom sutil e belo ao livro: “Escamas fala de uma adolescente que vive com o pai, e suas descobertas. Tentei ilustrar de uma maneira que não ficasse totalmente presa ao texto que eu mesma concebi”, comentou.

Já Campos, cujo portfólio possui tiras para jornais, fez o público embarcar no universo da nona arte, mostrando diversas capas de HQs, além de compartilhar curiosidades sobre heróis como Batman, Mulher Maravilha, Mandrake, Capitão Marvel e Super-homem. Também destacou seus álbuns autorais, de traço marcante e pegada divertida e ácida, com uma pitada de crítica.

biblio-keli-5“Muitas coisas realmente me irritam e, não sei bem a razão, eu acabo transpondo no desenho, e isso vai dos problemas que acontecem comigo até dilemas da população. Não é proposital, também adoro colocar a figura da mulher forte, determinada, ou mesmo relax, como em Deus, essa gostosa. Ela, neste álbum, é uma mulher tranquila, divertida, e foge do estereótipo do Senhor inalcançável, todo-poderoso”, frisou o quadrinista em sua apresentação.

Durante a conversa, os convidados deram dicas ao público: “Hoje, vejo muita gente se baseando em outros Quadrinhos para fazer Quadrinhos. O legal é basear-se no que acontece ao nosso redor, para fazer um bom roteiro, um bom desenho”, enfatizou Rafael Campos.

“Para enveredar-se pelas áreas da Literatura e dos Quadrinhos, é interessante você escrever, sem medo, sobre coisas fantásticas, absurdas. Por quê não? Muitas vezes pode parecer uma bobagem, mas pode se tornar uma ótima história”, concluiu Janaina. 
 
Confira mais fotos do evento (feitas por esta que vos escreve)!
biblio-keli-1 biblio-keli-2 biblio-keli-3 biblio-keli-4
 
 
 
— Jornalista freelancer, moradora de S. Miguel Paulista - SP e também colabora para o portal Jornalirismo (www.jornalirismo.com.br). Nas horas vagas, lê Quadrinhos. Nas outras também. Mais em http://twitter.com/keliv1