Num futuro dominado pela tecnologia, em que até cidadãos comuns podem ter seus robôs pessoais e outras maravilhas tecnológicas, nenhum produto se destaca tanto quanto o Noodle. Misto de assistente pessoal e gerenciador de tarefas, o Noodle é onipresente na vida de nove entre dez habitantes do planeta. Até entrar em colapso. 

Difícil medir, mesmo anos depois, o impacto que a crise do Noodle causou. Atrelado profundamente a sistemas vitais da sociedade, ele derrubou bancos, transporte, governos e décadas de avanços científicos.

O mundo que emergiu desta crise aprendeu a tratar os computadores com desconfiança, mas não soube diminuir sua dependência deles. Grandes complexos de pesquisa foram criados ao redor do mundo, dedicados a estudar tecnologias que a humanidade pensava ter deixado para trás. 

É num desses complexos que trabalha Wilczenski, uma das grandes mentes de seu tempo, e que agora se dedica à mesma ciência que trouxe tanta destruição no passado: a inteligência artificial. Até que tudo dá errado mais uma vez.

Quando uma misteriosa entidade parece despertar nos galpões do grupo Gaia, Wilczenski é o primeiro a ser chamado. Mas a entidade, que se apresenta como v.i.s.h.n.u., pede para ser mostrada ao mundo por outro cientista, o grego-brasileiro Karabalis

Misto de thriller e ficção científica, V.I.S.H.N.U. conta a história destes dois gênios em conflito, enquanto guerrilhas luditas, jornalistas, hackers, políticos e grupos religiosos tentam tomar o controle da situação. Tocando em questões atuais da ciência, o livro percorre continentes numa aventura que traz à tona um estranho e perigoso caminho que nossos avanços podem tomar.

V.I.S.H.N.U. tem 224 páginas, formato 29 x 29 cm, R$ 55,00, e chega as livrarias e lojas especializadas em 24/10/2012.

— Lucas Pimenta queria ser Martin Mystère. Não queria uma pistola de raios e sim a capacidade de enrolar uma noiva da mesma maneira...