No mês passado o quadrinista Alexandre Sousa Lourenço divulgou no seu blog, Robô Esmaga que iria distribuir de graça e ainda enviar pelo correio o primeiro número do seu Gibi, Sim Senhor.

Gibi de graça? Tô dentro! Fiz lá o meu cadastro, pra ser sincero, sem muita expectativa. Na pior das hipóteses, o melhor do gibi seria o preço.

Recebi por esses dias a minha edição. O que eu achei? Bom… vamos lá…

A edição é tem um formato pequeno (estou sem régua pra medir) mas é só um pouco maior do que um encarte de CD. Oito páginas de miolo – e a primeira surpresa – em cores. Está certo que a história principal usa uma paleta quase monocromática, mas a impressão é colorida.

No conteúdo, três histórias curtinhas mas bem caprichadas naquilo que se propõem: um bonito diálogo entre pai e filha, um conto sem palavras sobre pássaros, gaiolas, penachos e asas, com uma diagramação à la Chris Ware e uma rápida e sumária autobiografia.

Nas contracapas uma ilustração sobre o Clube da Luta e uma publicidade (?) sobre uma tal Escola de Arte Selina Kyle (WTF!?) com telefone e tudo (não vou ligar, não vou ligar, não vou ligar!).

No fim, um gibi bem legal, onde o melhor com certeza não é o preço. Um belo presente. Obrigado, Alexandre!

Pra quem ficou curioso, vale muito acompanhar o trabalho do autor no Robô Esmaga. E lá também já estão abertas as inscrições para receber o n.° 2 do Gibi, Sim Senhor.

 

— Não gosta de falar sobre si mesmo, mas a sua orelha queima quando estão falando dele.