Maria Bonita (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:1886lampiao4g.jpg)Com frequência ouço este poema de Otacílio Batista musicado por Zé Ramalho, com ou sem música tocando (quando é na minha cabeça, quem canta é Amelinha). Estes versos nos cantam de forma bela e inequívoca a força da mulher, uma força que o patriarcado não entende mas com a qual está prendendo (por bem ou por mal) a conviver.

Dentre os símbolos de força feminina no Brasil, uma nordestina nascida no sítio Malhada da Caiçara (região de Paulo Afonso)  tornou-se ícone: Maria Gomes de Oliveira. Mas você deve conhecê-la como Maria Bonita.

Maria Bonita representa de tantas, e tão intensas, formas a força da mulher que já foi registrada das mais diversas mídias: fotografia, cinema, xilogravura, literatura, teatro, música, artesanato, moda… e quadrinhos!

Para comemorar o centenário de nascimento deste símbolo da força da mulher a Sociedade do Cangaço lançou, no finalzinho de 2011, Bonita Maria do Capitão. O livro é estruturado em duas partes,  a primeira é  biográfica, apresentando textos e imagens da sertaneja da Malhada da Caiçara e fazendo um estudo de sua genealogia.Bonita Maria do Capitão - capa

A segunda parte apresenta obras de artistas que se apropriaram da imagem de Maria Bonita para suas produções, além de textos sobre a representação dela dentro destas produções. O texto sobre Maria Bonita nos quadrinhos ficou sob a batuta do competente Betonnasi.

Bonita Maria do Capitão pode ser adquirido na Livraria Cultura e Betonnasi gentilmente disponibilizou para publicação no Quadro-a-Quadro o texto inicial que elaborou para o livro (veja a seguir). Se quiser saber mais sobre Maria Bonita e suas representações nas artes (além de ler a versão final do texto do Betonnasi) este livro será sua melhor referência.

 
TEXTO DISPONIBILIZADO PARA DOWNLOAD

SERVIÇO
Título: BONITA MARIA DO CAPITAO
Autores: Vera Ferreira e Germana Gonçalves Araújo
Editora: VERA FERREIRA
Ano: 2011
Formato: 28 x 22 cm
Páginas: 328
Valor: R$ 100,00
 

— Sergio Barretto teve um passado nebuloso sobre o qual nunca fala. Ninguém sabe ao certo o que ele fazia, mas alguns indícios de ações secretas e aterradoras já desestimularam muita agente a continuar investigando. Hoje é um homem sério, cumpridor de seus deveres e apaixonado por histórias em quadrinhos desde que se entende por gente, e a cada ano faz mais tempo que ele se entende por gente. Faz parte do Quadro a Quadro desde sua criação e costuma ser gente boa, mas as vezes passa a impressão de que seu passado sombrio pode retornar a qualquer momento, pondo a todos em perigo.