H. R. GigerUm traçado surreal, envolvendo elementos oriundos tanto de um meio natural reconhecível (insetos e pessoas) até mesmo aquilo mais alienígena possível, mesclando devassidão erótica e bizarro assustador. Assim é a arte de H. R. Giger, artista suíço que criou, em filmes como Alien e A Experiência, os mais conhecidos monstros do cinema contemporâneo. Faleceu na última segunda-feira, 12 de maio, aos 74 anos de idade.

Sua arte, entre pinturas e esculturas, influenciou muitos trabalhos posteriores, criando uma verdadeira escola onde o horror e a ficção científica reinaram como cenários. Seus trabalhos, feitos de aerográficos possuem um tom realista desconfortante, tornando a arte fantástica quase uma realidade perceptível.

Muito de seu trabalho tem por influência o grotesco descrito em H. P. Lovecraft que podem ser vistas em Necronomicon. O livro de imagens agradou em cheio o roteirista Dan O´Bannon, que, encantado, mostrou para Ridley Scott, durante a produção de Alien em 1975. Foi paixão à primeira vista e o design do monstro ficou a cargo de Giger. A Academia lhe prestigiou um Oscar pelo tão inovador e singular trabalho.

Suas concepções biomecânicas praticamente fundaram um modo de conceber dentro do universo da ficção científica, tendo sido influência para vários artistas, principalmente nos quadrinhos e nos estúdios de tatuagem. Em seu país natal, elaborou toda a estrutura interna de dois bares temáticos, onde, entre bebidas, se pode apreciar um ambiente alienígena. Móveis e instrumentos musicais fazem parte de seu vasto acerto, bem como o design do Batmóvel no filme Batman Forever, de 1995. Uma perda irreparável para a arte em geral, deixa muitos de seus entusiastas com sensação de perda, mas a certeza de que o artista fez um trabalho imortal.

H. R. Giger ART

— BATMAN em tempo integral e Historiador nas horas vagas, busca a verdade e enfrenta vilões em ambas as ocupações!