Green Lantern: Rise of the Manhunters, jogo do Lanterna Verde inspirado no filme, foi lançado para as plataformas; PS3, PSP, Xbox 360, Wii, Nintendo DS e Nintendo 3DS.

O jogo veio no vácuo do filme, aparentemente se passa no mesmo universo, mais existem algumas discrepâncias na história. Mas vamos a análise que explicarei melhor.

HISTÓRIA

O jogo começa com o funeral de Abin Sur no planeta Oa. Sinestro, Kilowog e Hal Jordan estão lá para prestar suas homenagens, junto com Amon Sur (filho de Abin Sur, Amon na revista foi um Lanterna Amarelo e controlou os Caçadores Cósmicos por um tempo). Durante o funeral, Oa é atacada pelos Caçadores Cósmicos, é aqui que começa o jogo.

A invasão ocorre em nível planetário, mas os unicos lanternas que aparecem no jogo são Sinestro, Hal Jordan e Kilowog.

Pelo começo imaginei que se passava após o filme do Lanterna Verde, pois o corpo de Abin Sur esta na terra até o final do filme. Mas numa parte do jogo, Hal Jordan descobre a bateria amarela dentro de Oa, e os personagens agem como se nunca a tivessem visto. So que no filme os lanternas forjam um anel amarelo para enfrentar Paralax. Por isso fica confuso onde se encaixa a história do jogo.

JOGABILIDADE

A jogabilidade segue a linha bater, correr e quebra-cabeças fáceis, no estilo God of War. Quanto mais evolui o personagem, os construtos mudam, alêm de  poder comprar mais construtos.

Os construtos variam desde punhos até armaduras e metralhadoras giratórias. Mas tem de usa-los na hora certa pois eles gastam a energia do anel.

As fases quase todas tem a mesma estrutura, uma parte batendo e correndo, outra voando no estilo StarFox, atirando e destruindo os inimigos que aparecem, depois volta para o esquema bater e correr para enfrentar o chefão da fase.

Um dos pontos legais do jogo é poder jogar até dois jogadores, o segundo player controlando Sinestro.

DIFICULDADE

Não é um jogo dificil, alguns pontos precisam de mais atenção, mas nada que evoluir o personagem e uma sequência frenética de combos não resolvam. As fases de vôo complicam um pouco por que tem muita informação na tela, mas se ficar segurando o botão de tiro e movendo a mira da para passar.

Os inimigos são parecidos, mudam dependendo do planeta, mas seguem os mesmos estilos, um que tem ataques fisicos, outro que atira, outro mais forte que da uma dor de cabeça para matar.

Um curiosidade, em espaços abertos da para agarrar os inimigos com o anel e joga-los longe, estranhamente os matando no processo.

GRÁFICO

As texturas e visuais do jogos são belíssimos, cada planeta tem um visual próprio e bem trabalhado. As cenas de animação tem um visual legal mas podiam ser melhor. Os construtos estão bem feitos, cada um meio opaco mostrando os elementos que o formam.

SALDO FINAL

Lanterna Verde é um jogo legal, quem é fã vai curtir. Mas ele é muito repetitivo isso prejudica. Parei várias vezes para jogar outros jogos antes de zerar Lanterna.

Espero que façam um jogo do Lanterna Verde utilizando a cronologia da revista.

— O Dan é desenhista, designer, gamer e herói suburbano. Dan is a Cartunist, designer, gamer and underground hero.