No último sábado, 22 de março, o bate-papo na Gibiteca de Santos nos ovelhaproporcionou uma aula de História.

Com a presença de Osvaldo da Costa, Fausto Bergocce e Geandré, os participantes puderam aprender um pouco sobre o papel do humor gráfico na época da Ditadura e sobre o trabalho de cada um dos convidados.

Osvaldo da Costa, além de professor universitário da USCS e ilustrador, é curador e idealizador do Salão Dino de Humor do Litoral Paulista e também responsável pela pesquisa sobre o  Ovelha Negra, jornal alternativo que trazia cartuns de conteúdo político, entre outros temas e que era editado por Geandré entre 1976-1978. Nomes como Angeli e Henfil participavam destas edições.

O cartunista santista Geandré nos contou que apesar da vida curta, o periódico se tornou referência entre jornalistas e publicitários que viam no Ovelha Negra a possibilidade de contestar a Ditadura de uma forma que não fosse tão explícita. No entanto, em função dos cartuns terem sido associados por muito tempo à ideia de contestação política, a partir do final dos anos 80 sua produção passou a ser mais limitada nos veículos de comunicação que não entendem o potencial desta arte. O próprio Geandré chegou a publicar em 22 revistas diferentes por mês, o que prova o quanto a atuação dos cartunistas nos anos 70 era reconhecida.

Tive a oportunidade de ver alguns exemplares, cuidadosamente conservados por Da Costa e é incrível como muitos destes cartuns são extremamente atuais e uma boa parte pode ser conferida em sua dissertação de Mestrado.

Fausto nos contou um pouco sobre sua trajetória e de como o trabalho de Geandré o inspirou. Desenhista, ilustrador e chargista, já trabalhou em jornais como a Folha de São Paulo, Diário Popular e Diário de Guarulhos, tendo contribuido com o Ovelha Negra também. “Uns e outros”, lançado na Gibiteca, é seu 8º livro e reúne alguns de seus cartuns e charges .

Curiosidades:  Perguntei aos convidados sobre a pressão que sofriam na época da Ditadura e Geandré contou que  quase toda semana era chamado à delegacia para prestar esclarecimentos e de 1968 a 1978 não eram permitidas caricaturas nos jornais.

Fausto, por sua vez, disse que coisas estranhas ainda acontecem, mesmo o Brasil sendo hoje um país democrático. Misteriosamente, cada  vez que ele publica uma charge com conteúdo político um pouco mais contestador, seu e-mail é bombardeado com aqueles spams e vírus o convidando a comparecer à delegacia mais próxima, o que  nos leva a crer que embora a produção de cartuns nos veículos de comunicação não seja tão presente como nos anos 70, seu papel continua o mesmo e continua incomodando muita gente!

Créditos das fotos : Gibiteca de Santos e Santos Comic Con ( Obrigada! )

— Dani Marino é formada em Letras e ainda não decidiu se prefere viver no Sonhar, em Nárnia ou em Hogwarts.