A Conrad Editora informou em seu twitter que lançar no Brasil uma nova versão da fantástica série Gen Pés Descalços (Hadashi no Gen, no original). O mangá já foi publicado no país em uma coleção de quatro volumes, contudo essas edições foram traduzidas do inglês, e portanto era uma versão resumida da série. 

A Conrad promete publicar desta vez sem cortes e no sentido original de leitura, como ficou comum no Brasil na publicação de mangás desde que a mesma editora lançou os primeiros quadrinhos orientais com o sentido de leitura japonês em 2000, com Os Cavaleiros do Zodíaco e Dragon Ball.

Em Gen Pés Descalços o autor Keiji Nakazawa narra uma história quase autobiográfica, desde o momento em que ele presenciou aos seis anos o ataque a Hiroshima, quando a primeira bomba – "Little boy" – atingiu numa segunda-feira a cidade onde o autor morava com a família. A saga continua contando o relato de Gen com sua família e a vida difícil após os ataques na Segunda Guerra Mundial.

A série foi publicada originalmente na famosa revista Shonen Jump entre os anos de 1972 e 1973 fazendo muito sucesso entre os leitores.

A coleção foi publicada em mais de dez países e em idiomas como o francês, inglês, alemão, esperanto, indonésio, norueguês, suecos, português entre outros. Gen se tornou o primeiro mangá publicado nos Estados Unidos e foi aceito até nas escolas públicas do país, apresentando aos alunos o horror da guerra e da bomba atômica.

Uma história que fará o leitor refletir como a humanidade pode ser tão desumana através do olhar inocente de uma criança.

O Jornal Folha de São Paulo se refere ao título como “Uma obra fabulosa de perseverança e superação dos limites humanos, pela qual o autor acaba transmitindo seu apelo de paz ao mundo de forma sublime, num ensaio autobiográfico em quadrinhos" e o famoso artista Robert Crumb diz que “É uma das melhores histórias em quadrinhos já realizadas…” 

Título: Gen Pés Descalços – 1
Autor: Keiji Nakazawa
Formato: 14 x 21 cm
Número de páginas: 280
Preço: R$ 24,90

— Lucas Pimenta queria ser Martin Mystère. Não queria uma pistola de raios e sim a capacidade de enrolar uma noiva da mesma maneira...