Por Rodrigo Pedroso

Hitman foi uma série de quadrinhos desenvolvida pelo conhecido escritor irlandês Garth Ennis (mais conhecido por seu trabalho em Preacher) e pelo desenhista John MacCrea. As HQs contam a história de Tommy Monaghan uma assassino de aluguel que ganhou superpoderes (ler mentes e visão de raio X) quando foi atacado por um alienígena. Essas HQs chegaram a ser publicadas no Brasil por três editoras diferentes (Magnum Force, Tudo em Quadrinhos e Brainstorm, se procurar dá pra achar em sebos), mas infelizmente a série ficou incompleta por aqui.

Possuo quatro encadernados do personagem lançados nos EUA pela DC: “A Rage in Arkham”(v.1); “Ten Thousand Bullets”(v.2); “Ace of 2652577-hitman_vol_1_17Killers”(v.4) e “For Tomorrow”(v.5). Faltam os volumes 3 e 6 para completar a coleção, mas no momento eles estão esgotados. Pra quem não conhece Hitman pode ser descrito como um conjunto de histórias violentas e com um senso de humor bizarro (característico das HQs do Garth Ennis). Tommy Monaghan é ótimo profissional em seu ramo, seus contratos o colocam em situações que envolvem assassinar supercriminosos, alienígenas, mafiosos, demônios, vampiros, dinossauros e quem mais aparecer no caminho. Batman, Mulher Gato e Etrigan são alguns dos personagens que mais aparecem na série. As aventuras do personagem são cheias de mortes, balas voando pra todos os lados, explosões, e outras coisas comuns em muitos filmes de ação, porém a arte de John MacCrean dá a tudo isso um aspecto engraçado e ao mesmo tempo obscuro. Não sei descrever direito, mas ele tem um estilo de desenho caricato e ao mesmo tempo consegue passar certo toque de realismo… é algo que só dá pra entender quando se tem ao quadrinhos em mãos.

Hitman não é um quadrinho muito intelectualizado com grandes sacadas sobre a vida ou que desconstrói o conceito de super-herói, ou algo do tipo. Mas apresenta um personagem extremamente cativante e que tenta conciliar sua vida de assassino repleta de problemas estranhos, com problemas de pessoas normais, família, amigos, namoradas, etc.. Enfim, Hitman é uma HQ pra quem gosta de bastante ação e tem gosto por situações incomuns e está a fim de fugir um pouco do mundo dos super-heróis, ou que só quer se divertir lendo sem compromisso.

 

Foto

Rodrigo Pedroso é Doutorando em História Social pela USP, pesquisa histórias em quadrinhos desde a graduação e é professor na rede municipal ensino. No mestrado pesquisou a relação entre as HQs do Capitão América e os atentados de 11 de setembro. (Link para dissertação: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-16012015-183159/pt-br.php)

— Dani Marino é formada em Letras e ainda não decidiu se prefere viver no Sonhar, em Nárnia ou em Hogwarts.