Todo fã de quadrinhos conhece vários desenhistas pelo traço. Basta bater o olho no desenho e já solta: "essa HQ é desenhada por fulano!"

Mas às vezes rola uma confusão. Pode acontecer que alguns artista tem possuem influências em comum ou mesmo que sejam influenciados uns pelos outros e nisto os traços acabam saindo mais ou menos parecidos.

Não estamos falando de plágio. Nada disso! Tanto que nas ilustrações abaixo você não vai ver nenhuma idêntica à de outro artista. Estamos falando é de estilos semelhantes, talvez a ponto de causar alguma confusão na pobre cabecinha do nerd pimpão (ou talvez nem chegue a tanto).

Confira a primeira parte da nossa lista (a ordem é aleatória):

ENRICO MARINI E KATSUHIRO OTOMO

Começando com um bem polêmico.

Otomo todos conhecem. É o criador e desenhista de Akira, um dos mangás de maior sucesso de todos os tempos.

Marini é considerado um dos melhores desenhistas de quadrinhos da atualidade. Ainda pouco conhecido no Brasil, afinal teve pouquíssima coisa publicada por aqui: a série Predadores (Rapaces), que saiu pela Devir e a primeira parte de Gipsy, que foi publicada na finada Heavy Metal, lá na década de 90. Se pegarmos seu traço atual, dificilmente conseguiríamos fazer qualquer ligação com o mestre japonês, mas é justamente pelo seu trabalho em Gipsy que Marini entra na nossa lista. Confira:

Marini:

Otomo:

RAFAEL GRAMPÁ E PAUL POPE

Esses dois foram a causa desse post. Grampá é um dos mais aclamados quadrinistas brasileiros da sua geração. Tem na bagagem um Eisner pela antologia 5 e é autor da elogiadíssima Mesmo Delivey. Paul Pope é um quadrinista do qual eu nunca tinha lido nenhum trabalho, apesar de já ter ouvido falar bastante, especialmente por um amigo que trabalha com moda e sempre me indicava para ler os quadrinhos desse autor, que também assina coleções de roupas. Recentemente peguei pra ler a mini-série Batman Ano 100, de autoria de Pope, e quanto mais eu lia mais eu pensava: "já li alguma coisa desse cara. De onde é que eu conheço esse traço?" Daí me dei conta que a sensação de dejà vu era por quê o traço de Pope me lembrava bastante o do Grampá. Coincidência ou não, Grampá também tem um pé na moda.

Grampá:

Pope:

MARAT MYCHAELS E ROB LIEFELD

Eu gostaria de poder ajudar o Marat Mychaels. Pagar um psicanalista, oferecer um ombro amigo… fazer qualquer coisa! O coitado deve ser a pessoa com a auto-estima mais baixa do planeta. Só isso pode explicar o fato de um desenhista chupinhar o Rob Liefeld. Há quem diga que Marat consegue ser pior do que seu mestre. Outros dizem que isso é impossível.

Marat

Liefeld (o QaQ tem uma regra de nunca postar um desenho do Liefeld. Por isso aviso logo que eu poderei ser expulso pelo que vou fazer agora e por isso este pode ser o meu último post)

E então? Opinem, concordem, discordem e sugiram outros nomes para a próxima parte da lista (se eu conseguir evitar ser expulso do site).

— Não gosta de falar sobre si mesmo, mas a sua orelha queima quando estão falando dele.