A editora Conrad foi condenada ontem, 16 de abril, por plágio.

A condenação veio da 1ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo e é referente ao quadrinho Chibata! João Cândido e a Revolta que abalou o Brasil, publicado pela editora em 2008 e de autoria de Olinto Gadelha e Hemeterio.

CHIBATA-HQ-2-edicao1

A ação foi movida pelo dramaturgo e um dos idealizadores do grupo Teatro União e Olho Vivo, César Vieira.

Vieira acusa os autores de terem utilizado cenas fictícias criadas especificamente para a peça João Cândido do Brasil: A Revolta da Chibata no quadrinho sem consentimento algum. Segundo o próprio Vieira, "A peça é em parte ficcional. Dei ao João Cândido, o líder da revolta, duas namoradas, inventei um bar na Inglaterra, onde ele morou. Tudo o que não existia eles usaram como fatos históricos, em dezenas de páginas. E na defesa alegam que é uma homenagem a mim, mas em nenhum momento meu nome aparece no livro deles."

Com a condenação, a Conrad terá que pagar uma indenização por danos morais no valor de 21,8 mil reais, outra por danos materiais baseada no cálculo dos exemplares vendidos pela editora e uma retratação publicada três vezes em jornal de grande circulação. 

Apesar da condenação, a editora irá recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça, sendo que a mesma já foi condenada em 1ª instância em 2011 e esta agora, de 2ª instância.

simbolo03[5]

 

 

 

 

Fontes: Gibi Rasgado

             Folha Ilustrada

— Adalton nasceu no último dia de uma lua cheia, mas acha que isso não tem nenhuma relação com a sua vida; começou comprando quadrinhos por puro modismo - uma edição da Turma da Mônica parodiando Jurassic Park; sua primeira compra consciente foi a edição nº 01 de Batman: A queda do Morcego, ainda formatinho. Acredita que irá terminar a graduação em Letras antes da catástrofe de 2012 e daqui até lá está estudando parte das traduções intersemióticas das peças de Shakespeare já produzidas. E nos interlúdios, tenta produzir roteiros a partir idéias rabiscadas em antigos pedaços de papel.