Mais um post de dicas do mês! Mais um super variado, com dicas de quadrinhos nacionais, internacionais, independentes, mainstream, e dicas que envolvem questões acadêmicas e exposições! Vamos lá:

 

► Dicas da Keli
 

Quadrinhos e Comunicação – Entrevistas com autores e teóricos (Marca de Fantasia)

ed

O livro digital de Matheus Moura conta com entrevistas entre 2009 e 2013 (ano da publicação), com teóricos e artistas da Nona Arte. São eles: Amaro Braga, Edgar Franco, Gazy Andraus, Henrique Magalhães (diretor da editora Marca de Fantasia), Natania Nogueira, Paulo Ramos, Waldomiro Vergueiro e Elydio dos Santos Neto.

Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos, uso das HQs como ferramenta de ensino e de estudo, criação de gibitecas, são alguns dos temas tratados nas mais de 100 páginas do livro. E, claro, fala do lado humano que os Quadrinhos podem proporcionar na vida das pessoas.

Ficou curioso? Fácil, só enviar um e-mail para editora@marcadefantasia.com e solicite o seu de graça!

 

Flavio Colin – Filho do Urso e Outras Histórias (Opera Graphica) 

Agosto, mais especificamente no dia 13, completa 14 anos de falecimento de Flavio Colin. A publicação (de 2002, ano da morte de Colin) traz um recorte da história desse filho_ursocarioca apaixonado pelo Sul do País, que engloba sua trajetória da Nona Arte ao ramo da Publicidade, além de depoimentos – um emocionante de Gonçalo Junior é destaque – e alguns trabalhos como “Filho do Urso”, “Justiça não Falha” e “O Jogador Desconhecido”, este, aliás o que mais gostei. Confesso que será um pouco complicado encontrar a edição, parte da coleção Opera Brasil (nº 10), mas para quem quer aprender e, principalmente, entender mais sobre Quadrinhos, vale o esforço. 

 

Ocupação Glauco – Itaú Cultural  

glauco-keliA 30ª edição da Ocupação tem como tema o cartunista Glauco Vilas Boas, que faleceu em 2010, junto a seu filho Raoni. Além de uma parte na exposição dedicada ao lado espiritual do artista, fundador do Céu de Maria, espaço de culto ao Santo Daime (pronuncia-se ‘dai-me’), a gente pode olhar, literalmente, pelo buraco da fechadura e deliciar-se com as histórias de seus personagens mais icônicos, como Dona Marta (que eu a adoro!) e Geraldão, bem como trabalhos para o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco (SP), tiras, muitos rascunhos, cartas para parentes, fotos e vídeos. Uma mesa ilumina personagens de Glauco e o visitante pode fazer seus próprios esboços e levá-los de lembrança. Até livreto da exposição é incrível, está repleto de depoimentos emocionantes daqueles que conviveram com esse ser livre e sempre vivo. 

Até 21 de agosto. Mais em itaucultural.org.br/ocupacao 

 

 

► Dicas da Bárbara

Para prestigiar os lançamentos nacionais e encorajar os leitores-quadrinistas paulistanos a participar do edital do Programa de Ação Cultural – ProAC do Estado de São Paulo, seguem duas dicas:
 

Sob os olhos da morte: uma história da guerra de Angola, de Gonçalo Junior e Fábio Cruz

A HQ narra a emocionante história do piloto mercenário que se tornou herói, durante a Guerra Civil de Angola em 1975. Germano Gabriel Marreiros Batista salvou 30 crianças em um voo arriscado, a pedido de voluntários da Cruz Vermelha, mães e freiras. E não menos tocante foi a aventura vivida por Gonçalo Junior para encontrar o piloto: em 2000, numa noite quente de outubro, no aeroporto da cidade de Manaus, eles compartilharam quatro horas de prosas e histórias.

sob

Mulherhomem – A História Inserta, roteiro de Hector Lima, arte de Anderson Nascimento e tons de cinza de PriWi

mulheromemA HQ apresenta dois heróis: uma super-heroína intersexual, criada pela união cósmica de um casal de cientistas, e um roteirista em conflitos com seu próprio processo criativo. Ao longo da trama, muitos vilões aparecem para destruir a cidade e confundir seus habitantes com uma misteriosa substância que suga os hormônios do prazer. O próprio roteirista, imerso nessa mesma cidade, sente as consequências da substância. Somente Mulherhomem e sua energia transuda poderá salvá-los.

 

 

 

 

 

► Dicas do Sergio
 

As mais belas Fábulas – Sobre Homens e Ratos

Com a demora da Panini em publicar o último volume da saga Fábulas, ler uma história neste universo fantástico é sempre bom. Neste volume temos Cinderela às voltas com problemas causados por eventos ocorridos na noite em que perdeu seu sapatinho de cristal.

789765352227900004-500x500

J. Kendall – Aventuras de uma Criminóloga 122

Já fui leitor assíduo das aventuras da criminóloga Júlia Kendall mas, infelizmente, atualmente só consigo acompanhar suas aventuras pontualmente. Neste volume, com duas histórias, ela está em busca de crianças que foram levadas pelo pai para uma área selvagem e tem que aprender as regras de um ambiente completamente diferente do que está acostumada. Na segunda história uma velha inimiga retorna para assombrá-la.

kendall

Homem-Animal – Nascido para ser selvagem

O roteirista Peter Milligan dá continuidade às aventuras de Buddy Baker depois da fase Grant Morrison, e faz isso com maestria. Explora o conceito de multiverso e investe em personagens completamente fora de tudo que estamos acostumados, tanto heróis quanto vilões. Budy vai passar por um verdadeiro inferno antes de entender o que está acontecendo depois que acorda de um inexplicável coma.

animal

Hellblazer Infernal vol. VIII: O filho do homem

A publicação de todas as aventuras de John Constantine, em ordem cronológica, pela Panini segue de vento em popa. Ainda bem!

Neste volume Constantine é, mais uma vez… Constantine. Mau humor, cinismo, ações de (no mínimo) moral duvidosa, magia e consequências desastrosas. O roteiro de Garth Enis reflete bem a (falta de) moral deste anti herói, que precisa lidar com um demônio que ele mesmo colocou no corpo do filho de um mafioso.

panini_hellblazerinf8

 

 

► Dicas da Dani Marino

 

Navio Dragão, de Rebeca Prado

Estava me prometendo comprar o Navio Dragão há alguns eventos. O livro é uma coletânea de tiras que ultrapassou a meta para publicação no Catarse em 2015. O projeto de incRebeca Prado é encantador, apesar da personagem Lif ser uma pequena viking ranzinza cujo cachorro se chama "Carne".
A aquarela e os traços delicados contrastam com a personalidade de Lif que entre outras coisas, coleciona escalpos (tripas dão muito trabalho!) e diz que seu tipo de pessoa favorita é a esfolada. Sem muita paciência pra convenções sociais, ela consegue ser cativante justamente por não estar nem aí para o julgamento alheio , mantendo-se autêntica e fiel às suas convicções.

Esse é o texto de apresentação no Catarse:
Navio Dragão é uma coletânea de tirinhas sobre uma pequena Viking chamada Lif e seu fiel escudeiro, o cãozinho Carne! Lif é uma personagem um tanto quanto especial quando o assunto é bom humor e paciência…isso porque ela não tem nenhum dos dois. No final das contas ela trata as pessoas de uma forma um pouco mais honesta do que o necessário e acaba criando situações ligeiramente constrangedoras (para os outros, é claro).

Tiras: naviodragao.wordpress.com/
Fanpage: www.facebook.com/incbeca?pnref=lhc

 

 

► Dicas do Guido

 

X-Men #34

ShowImagePra quem gosta dos mutantes, e pra quem gosta dos roteiros do Bendis (mesmo ele estando longe de sua melhor fase), esta edição é um prato cheio. Bendis encerra muito bem seu ciclo a frente dos títulos 'Novíssimos X-Men' e 'Fabulosos X-Men' antes do início da mega-saga Guerras Secretas. E a edição equivalente a 'Astonishing X-Men #600', que faz parte do mix, é uma grande celebração aos personagens, autores antigos e fiéis leitores.

 

 

 

 

Vagabond

A série escrita e desenhada por Takehiko Inoue não é novidade no Brasil. No entanto, vem sendo republicada pela Panini e é mais do que uma boa hora para começar a Vagabondacompanhar. Apesar de eu ter o material da Conrad (adquirido por uma pechincha numa oportunidade que resolvi não deixar passar) já há algum tempo, só comecei a ler agora. Que os desenhos de Inoue impressionam, isto não é novidade. Que o tema, a história de Miyamoto Musashi é interessante, também não deve ser novidade pra ninguém. Mas a forma com que Inoue une arte e roteiro, numa narrativa que prende o leitor e surpreende a cada quadro é o que realmente cativa. As cenas desenhadas por Inoue são impactantes pelos detalhes, mas são igualmente impactantes pelo movimento e pelo cuidado nos enquadramentos. Fantástico!

 

 

Ditadura no Ar – Coração Selvagem

Nós quadrados já recomendamos a série Ditadura no Ar várias vezes, desde quando era publicada de forma independente em volumes separados. Porém agora os autores Raphael Fernandes e Abel contam com a editora Draco para publicar um encadernado contendo a série toda, e alguns extras. A narrativa que retrata uma trama de detetivesca, jornalística, no Brasil sob ditadura militar é mais atual do que nunca. E os desenhos do Abel casam perfeitamente com a história. Mais do que recomendado!

ditadura_no_ar-630x883

— Guido queria ser um personagem de histórias em quadrinho. Depois de ler Will Eisner se contenta em ser um personagem de uma história sem quadros.