Novas dicas de leituras dos Quadrados, com comentários rápidos e sinceros dos colaboradores do site. Participam deste post Adalton, Lucas Pimenta e Marcello.

QaQ Recomenda:

Homem-Aranha 116 – Vários autores (Marvel / Panini). O Cabeça de Teia mais adorado dos quadrinhos está numa fase excelente. O “Corredor Polonês” continua, existe uma Escorpião agora e Fanático surge misteriosamente derrotado, esmagado, estraçalhado no Central Park e cabe ao Aranha descobrir quem é o culpado. As piadas estão de volta, as boas tramas e o famoso azar de Peter Parker, tudo isso no melhor gibi de super-herói das bancas. (Lucas Pimenta)

Pateta faz História 1 (Disney / Ed. Abril). Começa aqui as biografias nonsenses dessa brilhante série Disney. Primeiros volumes têm Pateta como Leonardo da Vinci e Isaac Newton. (Lucas Pimenta)

Pateta faz História 2 (Disney / Ed. Abril). Pateta na pele do famoso navegador Cristóvão Colombo, tentando provar que a Terra é redonda, estará ele certo? Pateta Strauss é o criador da valsa Danúbio Azul em uma das melhoras paródias dessa saga disneyana. (Lucas Pimenta)

Pateta faz História 3 (Disney / Ed. Abril). Dessa vez o herói encarna o papel de Galileu Galilei em uma história repleta de metalinguagem e anacronismos que vão ser o marco da série. Na segunda história sobre Vasco da Gama, Pateta pela primeira vez na série não encarna o personagem principal, mas não deixa de ser a estrela da obra. Vale a leitura. (Lucas Pimenta)

Pateta faz História 4 (Disney / Ed. Abril). A melhor edição do momento, aqui Pateta encarna o papel de um músico novamente, dessa vez ninguém mais do que Beethoven em uma comédia do início ao fim. É nesse volume que temos até então a melhor história da série, Pateta Boone é a paródia Disney de Daniel Boone, famoso homem-mito estadunidense, conhecido por desbravar o território selvagem dos Estados Unidos. A história ainda brinca com outro famoso explorador, David Crockett, que muita gente confunde com Boone. Imperdível. (Lucas Pimenta)

Promessas de um amor desconhecido enquanto espero o fim do mundo, vol. 2: Underground – Pedro Franz (Independente). Continuando o mistério sobre Jolly Roger, neste segundo volume, Pedro Franz nos convida a participar do seu experimentalismo criativo. (Adalton)

 

 

Para dar uma olhada:

Clube da Voadora – Hugo Nanni (Independente). A publicação que leva o selo do Quarto Mundo já está na sua segunda edição e é uma história de super-heróis que possui uma leitura bem gostosa. (Adalton)

Encontro Fatal – Milo Manara (Conrad). É um Manara e só isso diz tudo. Se tivesse um roteirista decente, com certeza estaria na categoria acima, mas como é roteirizada pelo próprio Manara, só os desenhos já valem uma indicação, ainda mais custando R$9,90. (Marcello)

 
 

Para passar longe:

Universo Marvel 16- Terra das Sombras – Andy Diggle, Billy Tan e outros (Marvel / Panini). A menção a essa HQ é somente para retificar o post anterior, em que eu dizia que Diggle "conduz razoavelmente bem as histórias do Demolidor". A saga fecha com pobremente uma longa e excelente fase do Demolidor, que vem como qualidade impecável desde a época em que o personagem foi escrito por Brian Bendis e em seguida por Ed Brubaker. Lamentável. A revista ainda traz histórias do Quarteto Fantástico, Hulk e Thunderbolts, que não entram na péssima indicação ( simplesmente por quê eu não li, se tivesse lido não duvido que entrariam). (Marcello)

— Não gosta de falar sobre si mesmo, mas a sua orelha queima quando estão falando dele.