Tardamos mas aqui estamos! Nossas dicas de leitura de hoje trazem web comic, Disney italiana, Marvel/DC, Mangá, quadrinho Europeu e quadrinho nacional. Ou seja, para todos os gostos! Vamos lá…

 

Daniel Maioral

Mickey Mystery Magazine

mmO que aconteceria se você misturasse os filmes e personagens Noir ao maior estilo O Falcão Maltês com Mickey e alguns outro personagens da Disney?

Provavelmente a resposta seria uma calamidade da história da literatura, porém nas mãos do escritor Tito Faraci e do ilustrador Giorgio Cavazzano temos uma das melhores histórias da Disney já lançadas, e uma divertidíssima história policial com direito a mistérios, romance, tiros, preconceito, corrupção e uma lanchonete aonde os "mocinhos" se reúnem para trabalhar. Publicadas em Maio de 1999 à Março de 2001 as histórias narram a vida de Mickey, um detetive famoso de Patópolis que é chamado a Anderville, uma cidade vizinha imersa em corrupção e crime para quitar a dívida de seu amigo e sócio Sonny, afinal a agência de detetives que Sonny abriu (usando o nome de Mickey como parceiro fiscal) está a beira da falência com o desaparecimento do detetive. Mickey então parte para Anderville aonde descobre que apesar de ser grande coisa em Patópolis, Anderville irá exigir muito mais do que ele poderia imaginar, e para investigar o sumiço de Sonny ele irá se aliar a um cheff de lanchonete, um taxista que conhece as ruas, um golpista e os poucos agentes da polícia que não estão na folha de pagamento dos políticos.

A maior curiosidade é a sorte que temos de ter esse material aqui. Mickey Mystery só foi publicada na Itália e traduzida para poucas línguas do mercado europeu, nem mesmo os EUA tiveram a sorte de ler esta coletânea, então como diria o célebre detetive da 221 B – Baker Street, sente na poltrona, prepare um chá com alguns biscoitos e se deixe levar para uma cidade prestes a encontrar o poder da lei nas mãos de um rato que acredita que a justiça não tem tamanho, apenas a obrigação de ser realizada.

Autores: Tito Faraci e Giorgio Cavazzano
Editora: Abril
Lançamento no Brasil: Março

 

Beto Magnun

Convergência – Shazam! Homem-Borracha e os combatentes da liberdade

Convergência está sendo publicada agora em terras tupiniquins, enquanto nos EUA saiu ano passado, servindo de tapa buraco enquanto a editora s1mudava de sede. Como um tapa buraco não dá pra esperar muita coisa. Mas para aumentar às expectativas dos leitores (e consequentemente as vendas) a saga apela para a nostalgia apresentando muitas histórias com os personagens pré Flashpoint e Pré Crise nas Infinitas Terras. Eu sou um verme que compra qualquer coisa que tenha o Capitão Marvel na capa logo não pensei duas vezes antes de comprar essa edição. E se arrependimento mata-se… Não mata, mas custou R$11,90. A Panini caprichou na edição. Papel de boa qualidade e repleta de informações sobre os personagens, mas falta contextualizar direito quem não acompanha a minissérie principal. “O retorno do Trovão” foi escrito por Jeff Parker, tem uns bons momentos, mas o desenvolvimento é apressado e o final ainda mais corrido não mostra a que veio. Se o roteiro é fraco os desenhos do artista Evan Shaner aliado ao colorista Jordie Bellaire seguem o caminho oposto. Minha decepção foi tanta que acabei nem lendo a HQ do “Homem-Borracha”, e acho que não perdi nada.

Atores: O retorno do Trovão – Jeff Parker (Roteiro), Evan ‘Doc’ Shaner (Desenhos) e Jordie Bellaire (Cores)
Da frigideira… – Simon Oliver (Roteiro), John McCrea (Desenhos) e John Kalisz (Cores)
Editora: Panini
Lançamento no Brasil: Fevereiro de 2016

 

Keli Vasconcelos

Cartunfólio

mar vermelhoDe Itaboraí(RJ), Zandré, como o próprio apregoa, “é cartunista, mas pediu perdão a Deus”. E paga, ou melhor, ilustra os pecados do Brasil e do Mundo em seu Cartunfólio (http://cartunfolio.blogspot.com/), blog com tirinhas que saem às quartas e sábados.

Conheci seu trabalho no FIQ de 2015, quando ele mesmo entregava um zine com o seu portfólio – ou melhor, Cartunfólio – para o pessoal que aguardava as palestras.  Com traço marcante e tiradas sarcásticas, Zandré transforma em arte os assuntos que bombardeiam no momento, sendo os seus favoritos o cenário político e social de hoje.  

Autor: Zandré 
 

 

 

Lázaros Hunter

 A figura de Lázaro, conhecido na passagem bíblica por Jesus tê-lo ressuscitado, dá o nome a “Lázaros Hunter”, história capitaneada por Emmanuel Merlotti, de Campo Grande (MS). A prévia foi impressa e entitulada “O Sacrifício” (roteiro e arte de Merlotti; texto de Alexandre Bastos), e lançada no FIQ de 2015.

Na trama, Lázaros é um detetive convencido, que no traço e criação de Merlotti fica até engraçado e caricato, com a missão salvar a filha do prefeito de uma cidade grande das garras de malfeitores. Além das referências bíblicas já citadas, a tríade terror, ação e zumbis norteiam as aventuras. No site, você confere outros desdobramentos dos personagens e novidades:http://lazaroshunter.blogspot.com/

Autor: Emmanuel Merlotti
Editora: 
Lançamento no Brasil: 2015

 

Lucas Pimenta

Vagabond #1 e #2

A Panini volta a publicar o mangá sobre o maior de todos os Samurais. A história de Musashi narrada por Takehiko Inoue é belíssima, tanto no texto, original_VAGABOND_01_1a-e-4a-capacomo na espetacular, e absurdamente detalhada, arte de Inoue.

Edição bem caprichada, com lombada bem acabada, que vai deixar uma bela coleção na estante de qualquer colecionador. Vale cada centavo, que falando neles, a editora conseguiu um preço bem justo, para uma série que há muito tempo já veinha sendo castigada no Brasil.

Que a editora tenha fôlego para alcançar a série no Japão, e que até lá o autor consiga publicar o final desse mangá épico!

Autor: Takehiko Inoue 
Editora: Panini
Lançamento da nova edição no Brasil: Março

Aranhaverso #2

aranhverso_2A saga capitaneada pelo escritor Dan Slott chega em momentos épicos. Vários aranhas de realidades e multiversos diferentes estão se reunindo para combater a família de Morlun e acabar com sua sede pela energia vital dos Amigões do Espaço-tempo, rs!

Vale apontar as duas páginas em que Morlun é lebado ao universo do Homem-Aranha das tiras de jornal, e Dan Slott de forma genial brinda ao leitor com uma história divertida e cheia de referências, simples e direta ao ponto!

Autores: Diversos
Editora: Panini
Lançamento no Brasil: Março

Homens do Amanhã

Não é quadrinho, porém o livro de Gerard Jones nos mostra os primórdios da indústria dos quadrinhos, numa era em que nerds e gângsteres "ajudaram" 1377186um dos ramos mais poderosos do planeta a tomar forma. Uma obra indispensável para quem quer saber mais sobre a era de ouro dos quadrinhos, como surgiram alguns mitos e o que aconteceu com alguns criadores pioneiros.

Autor: Gerard Jones
Editora: Conrad
​Lançamento no Brasil: 2006

Will Eisner: Um sonhador nos quadrinhos

Obra de Michael Schumacher (não é o piloto!) que relata a vida de um dos maiores criadores de quadrinhos de todos os tempos.

Reveladora e emocionante, só nos mostra o quanto Eisner estava além do seu tempo e entendia como poucos a mídia que abraçou como sua principal forma de arte!

Vale a leitura, principalmente para compreender o que levou o criador do Spirit a se debruçar cada vez mais em histórias autorais…

Autores: Michael Schumacher
Editora: Biblioteca Azul
​Lançamento no Brasil: 2013

Dica negativa: Rurouni Kenshin – Edição do autor #1 e #2

capa_rurouni_kenshin_versao_autor_01_gPara quem gosta da série criada por Nobuhiro Watsuki, esses dois volumes são completamente dispensáveis.

A edição não traz nada que se assemelhe com a obra original… E para um atour que vivia reclamando da sua qualidade como artista e a promessa de melhorar sempre, ele bem que podia poupar seus fãs dessa nova série.

Mas, colecionador que é colecionador, quer ter na coleção e a JBC continuou o ótimo trabalho, que dessa vez fez com a série do eterno Samurai X!

Autor: Nobuhiro Watsuki
Editora: JBC

 

Guido Moraes

X-Men #30

Recomendo a edição. A sequência do roteirista Brian Michael Bendis a frente dos títulos "Novíssimos X-Men" e maX-men"Fabulosos X-Men" continua divertida. As séries alternam altos e baixos, mas não lembro de nenhuma edição do Mix onde uma das histórias não tivesse valido a pena. Sem se preocupar muito com continuidade e o famigerado "efeito borboleta", Bendis impõe novas aventuras aos mutantes, com muitas viagens no tempo, viagens intergalácticas e entre diversas dimensões. O calvário de Scott Summers continua, e a maneira como Bendis trabalha com o Professor X nesta edição é muito interessante. Aliás, o que mais gosto em "Novíssimos X-Men" e "Fabulosos X-Men" é como Bendis aborda personagens queridos como Jean Grey e Charles Xavier sem polemizar muito com ressureições passageiras.

Autores: Brian Michael Bendis, Mahmud Asrar, Chris Bachalo, entre outros.
Editora: Panini
Lançamento no Brasil: Março

Homem-Animal – Deus Ex Machina

26015772911_2e1f412536_bO encadernado que encerra a fase de Grant Morrison a frente do personagem é com toda a certeza o melhor da série. Para quem tinha a edição publicada pela editora Brainstore ou outras mais antigas, esta nova edição da Panini está bem atrativa.

Quem conhece outras histórias do Morrison sabe que ele gosta de apresentar detalhes no ínicio para depois trabalhá-los no fim. O preço a se pagar é ter uma leitura mais arrastada no início, e os dois primeiros encadernados da Panini custam um pouco a engrenar. Porém, o terceiro volume poussui um ritmo convidativo a uma leitura intensa, pedindo para ser devorado todo de uma vez. Não é meu trabalho favorito do autor, mas acho que é onde ele melhor trabalha esse seu estilo de preparar o terreno para mais tarde, em um paralelo a Magia do Caos que ele tanto gosta.

Por fim, resta dizer que é uma das hqs de super-herói mais impactantes de todos os tempos, cheia de conceitos transgressores para a época. Ainda sim, se mostra atual, e definitivamente vale a leitura.

Autores: Grant Morrison, Chaz Truog, Doug Hazlewood, Paris Cullins, Mark Farmer e Steve Montano.
Editora: Panini
Lançamento no Brasil: Março

O Árabe do futuro #2

A história auto-biográfica do Cartunista françês Riad Satouff continua, passando pela França, Síria e Líbia, países onde ele passou boa parte de suaO_ARABE_DO_FUTURO_2_1454422946551767SK1454422946B infância. Tão impactante quanto o primeiro volume, a narrativa simples apresenta as diferenças culturais de maneira que choca mas que não deixa um sentimento tão pesado quanto outras obras do gênero. Em Janeiro recomendei o volume 1, e continuo recomendando a série.

Autor: Riad Satouff
Editora: Intrinseca
Lançamento no Brasil: Março.

 

 

 

 

 

 

— Guido queria ser um personagem de histórias em quadrinho. Depois de ler Will Eisner se contenta em ser um personagem de uma história sem quadros.