Do press release

O marinheiro Corto Maltese, herói romântico dos quadrinhos, esteve nos quatro cantos do mundo, navegou o Pacífico, chegou à Sibéria, visitou a África e as Américas. Já se conheciam muitas de suas aventuras, iniciadas em 1967, quando, em 1981, o jornal francês Le Matin encomendou a Hugo Pratt, criador do personagem, uma série em quadrinhos para ser publicada no decorrer do ano, com tiras diárias em branco e preto e uma prancha colorida semanal.

Pratt começou a narrar os bastidores da guerra entre a Rússia e o Japão na Manchúria, em 1905, retratando quadro a quadro as trincheiras, a vitória e o orgulho dos oficiais japoneses, a desorientação das tropas russas, a instabilidade do cessar-fogo.
Corto Maltese, então com 17 anos, surge ao final da trama, quando se encontra com Jack London, escritor e correspondente de guerra norte-americano, e é apresentado a Rasputin, coadjuvante em algumas de suas futuras aventuras. Embora um desentendimento com o editor tenha interrompido sua publicação, o artista transformou a história num álbum, que acaba de ganhar sua primeira publicação no Brasil, pela Editora Nemo. Corto Malterse – A Juventude, lançado no Brasil em edição similar à europeia, é de acordo com Pratt: “um relato sobre amizade e honra, a liberdade, a loucura e o rigor”.

O álbum é complementado por uma introdução com fotos e textos exclusivos, que mostram os ambientes e contexto em que se passa a história. O álbum do italiano Hugo Pratt é o primeiro da Série Corto Maltese, publicada pela Editora Nemo, que pretende oferecer ao público brasileiro as histórias inéditas deste último herói romântico.

Sobre o autor – Hugo Pratt, nasceu em 1927 na Itália, e morreu em 1995, na Suíça. Conhece, em 1945, o artista Mario Faustinelli, com quem começa a trabalhar com histórias em quadrinhos, fazendo parte do Grupo de Veneza, junto a outros artistas. Em 1949 viaja à Argentina, trabalhando para a revista Asso di Picche, regressando em 1962. Em 1967 une-se a Florenzo Ivaldi, empresário genovês apaixonado por histórias e quadrinhos, e lançam a revista Sgt. Kirk, onde aparecem as primeiras histórias de A balada do mar salgado, com Corto Maltese. A partir da segunda metade dos anos 70 e nos anos 80, Hugo Pratt desenvolve as aventuras do Corto Maltese.

 

 

 

 

 

— Não gosta de falar sobre si mesmo, mas a sua orelha queima quando estão falando dele.