A Exposição "Max, panóptica 1973-2011" do quadrinista, chargista, ilustrador espanhol Francesc Capdevilla, mais conhecido pelo pseudônimo Max chega a Salvador através do Instituto Cervantes. A exposição será aberta para visitação a partir do dia 22/11/2012 às 19 horas e permanecerá até 26/01/2013.

Max é um importante quadrinista espanhol, que criou personagens populares como Gustavo Peter Pank. Em 1973 desponta no quadrinho espanhol no circuito underground onde participou do grupo El Rrollo onde criou o fanzine El Rrollo Mascarado, já sobre a influência do grande mestre do quadrinho underground nos Estados Unidos, Robert Crumb.

Em 1979, participou da lendária revista El Víbora, onde utilizou seu personagem Gustavo, um ambientalista, anarquista e revolucionário. Em 1983 sua radical paródia de Peter Pan (Peter Pank) faz sua estreia. Já no ano de 1984 publicou El carnaval de Los Ciervos, onde seu traço e estilo narrativo passou por uma grande mudança estética, e dessa vez sua maior influência foi o quadrinista francês Yves Chaland (1957-1990). É neste momento que temas mitológicos, fantásticos, surreais começam a fazer parte do seu trabalho, e torna-se sua principal caractéristica até hoje.

No Brasil a Zarabatana Books, publicou o álbum (de estreia da editora) O prolongado sonho do Sr. T, em dezembro de 2006. A história é surreal carregada de non-sense, e apresenta o comerciante Cristovão T., que dormiu numa tranquila noite do dia 17 de março de 1993 e acordou às sete da manhã, contudo 40 dias depois e numa UTI de um hospital.

O álbum trata do relato do Sr. T., que ao acordar pede uma caneta e um papel para descrever as imagens que viu nos sonhos durante o tempo em que esteve dormindo. Essa é a premissa desse livro, que vale muito a pena para todos os fãs de quadrinhos.

Max trabalhou diretamente para o mercado franco-belga, sofreu influência de artistas como o belga Sempre Meulen (1946 -), os estadunidenses Art Spiegelman (1948 -) e Chris Ware (1957 -) entre outros. É um pouco da vida e obra (cerca de 200 trabalhos – Com um total de 169 desenhos originais, 2 painéis luminosos (Biblioteca e Mapa Mental de Bardín) e numerosos documentos e objetos de apoio tais como: cartazes, revistas, postais, fotografias, periódicos, chapas, pins, camisetas, cd’s, logos, cartões de natal, desenho de mascotes esportivos, relógios, esculturas etc…-) desse premiado artista que o público soteropolitano poderá apreciar até janeiro.

A mostra, que já esteve em Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e agora Salvador, tem entrada franca e pode ser conferida de segunda a sexta-feira, das 9 às 19 horas.

Instituto Cervantes de Salvador
Av. Sete de Setembro, 2792
Ladeira da Barra, 40130-00
Barra – Salvador – BA
Tel:  (71) 3797 4667 / Fax:  (71) 3336 4271

Um pouco mais do trabalho de Max, em seu site e seu blog.

Confiram um vídeo da exposição em Minas Gerais e um bate papo com o artista.

— Lucas Pimenta queria ser Martin Mystère. Não queria uma pistola de raios e sim a capacidade de enrolar uma noiva da mesma maneira...