lizziebordello_capaA vida pode ser rude, mas a gente pode transformá-la em novas nuances, tornando-a mais leve e isso é uma arte. Quando li Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço (Germana Viana – Jambô Editora), vi ilustrado a grande arte de ser mulher que faz A Louca, aquela que não tem vergonha de ser o que é, não segue padrões, não se intimida com os erros, unhas lascadas e/ou salto quebrado – e detalhe, o termo “louca” não é ofensivo e sim efusivo!

Na trama desta HQ, as piratas Fran, Deus, Lizzie e a novata Lambretinha são quatro viajantes do espaço, que encaram com muito humor os desafios que aparecerem.

Precisa explicar mais, amigo leitor?

O mais interessante neste Quadrinho não é apenas o traço divertido da autora, mas as sacadas mostradas durante a leitura: referências de bandas, astros do cinema, como Michael Fassbender e Gael García Bernal – que no mundo de Germana, é um trio! –, e filmes como Sinais (2002) e a emblemática cena do capacete de alumínio para que os ETs não leiam os pensamentos. No enredo de Pombas!, em Lizzie…, o foco era neutralizar baratas como cosplay de pombos.

Outra história que merece destaque, e que fecha o álbum, é Senhor Fulano. Evidente que não vou falar como é o enredo, porém deixo só um ‘cheiro’, como diria meu pai: imagine todo mundo igualzinho, fazendo as mesmas coisinhas, bonitinhas e cheias e “inhas” todos os dias? Bom, se você sentiu-se meio assim, é interessante começar a rever como anda o seu cotidiano… Não dá para fugir dele, mas podemos dar um upgrade, não é mesmo?   

Lizzie_Bordello-2Baratas, chinelas, pepinos, zumbis surfistas, uma Deus que tem uma irmã literalmente Capeta… Multiplicidades por cima de outras, risadas de nós mesmos, seja feminino ou masculino, encontradas em cada página de Lizzie, todas recheadas de cor, fúria, música e alegria.

Essa é a melhor beleza que carregamos, a de fazer A Louca sem temores, sem julgamentos, com riso solto – mesmo com o choro preso. E a beleza de Germana, mulher e louca, em Lizzie Bordello e As Piratas do Espaço, só deixou ainda mais sorridente a arte que é a existência nesse vasto universo.

P.S: As páginas do álbum são compilações de histórias publicadas no site www.lizziebordello.com; vale a pena conferir! Ah, e também usar o seu tapa olho 2D, incluso na HQ, e evocar: “Alah-Mur é meu pastor e nada me faltará” – assim seja!

 

 

 

— Jornalista freelancer, moradora de S. Miguel Paulista - SP e também colabora para o portal Jornalirismo (www.jornalirismo.com.br). Nas horas vagas, lê Quadrinhos. Nas outras também. Mais em http://twitter.com/keliv1