marcelo1Por Marcelo Buzzoni*

* Marcelo Buzzoni é convidado do Quadro a Quadro. O conteúdo desse post expressa a opinião do autor, que é plenamente responsável pela mesma.

 

 

“Uma Discussão sobre o currículo para História no Estado de São Paulo a partir da adaptação em quadrinhos da crônica de Hans Staden” artigo apresentado na mesa “Quadrinhos e Educação” nas 1ªs. Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos 2011.

Qual professor de História, ao tentar contar aos alunos a história de Hans Staden em sala de aula, não teve dificuldades com o texto arcaico da crônica do viajante bávaro? Ou então com as gravuras que acompanharam as primeiras publicações que, por mais realistas que fossem, eram de difícil entendimento?

Além da crônica original, a história de Hans Staden já foi contada de diversas formas: cinema, livros infanto-juvenis e até por meio de histórias em quadrinhos (HQs).

Existem inúmeras adaptações para quadrinhos que narram essa crônica, inclusive algumas que foram financiadas ou apoiadas por prefeituras de cidades por onde Hans passou quando esteve no Brasil.           

Para esta análise foi escolhida a adaptação feita pelo quadrinhista pernambucano Jô Oliveira. Seu traço realista-naturalista é perfeito para  representar a fauna e a flora brasileira dos tempos de Hans Staden, bem como os índígenas e portugueses presentes em sua crônica.

Leia o trabalho completo aqui:

A ADAPTAÇÃO PARA QUADRINHOS DA CRÔNICA DE HANS STADEN

———————-

Marcelo é advogado, historiador, professor de história e, nas horas vagas, escreve sobre quadrinhos. Deixaria tudo isso de lado se fosse escolhido para ser o Lanterna Verde da Terra.

———————-

** A imagem que ilustra este post foi retirada da fonte: http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao/hans-staden-um-aventureiro-no-novo-mundo/ha033100/60335

— Guido queria ser um personagem de histórias em quadrinho. Depois de ler Will Eisner se contenta em ser um personagem de uma história sem quadros.