Projeto apresentado por Daniel Jordano Miranda, Luiz Guilherme Melo e Mário Bentes à Profa. Msc. Leila Ronize do curso de Comunicação Social/Habilitação em Jornalismo, do Centro Universitário do Norte (Uninorte).

Resumo:

O projeto referente à Prática Editorial do tema “A adaptação da tradicional linguagem jornalística para o formato Histórias em Quadrinhos” apresenta embasamento teórico para afirmar que o modelo de linguagem vigente no jornalismo brasileiro, como a conhecida estrutura da Pirâmide Invertida, não é mais atraente ao grande público, fato constatado pela notável queda dos índices de circulação e receitas dos periódicos mais importantes do mundo. Paralelamente, observa-se que o perfil do próprio público vem mudando ao longo do tempo e que este passa a exigir formas atrativas e dinâmicas de informação, algo que é atendido por veículos mais recentes, como a Internet. Mesmo os modelos tradicionais de veículos de comunicação, como rádio e TV, buscam alternativas neste sentido para evitar perda de público. A partir da posição de teóricos, propomos a adoção de novos modelos de transmissão da informação para os impressos, mais especificamente o uso da linguagem visual sequencial que marca uma das formas de arte e cultura popular mais conhecidas do Século XX: as Histórias em Quadrinhos.

Palavras-chave:

Jornalismo; Jornalismo Literário; Cultura Popular; Artes visuais.

A ADAPTAÇÃO DA LINGUAGEM JORNALÍSTICA TRADICIONAL PARA O FORMATO HISTÓRIA EM QUADRINHOS

Abaixo segue o exemplar número 1 da Magazine Jornalismo em Histórias em Quadrinho, produzido pelos autores do TCC com arte de Márcio Alexandre, como resultado do processo adaptativo da linguagem jornalística para as HQs.

 

O conteúdo deste artigo expressa a opinião dos autores, que são plenamente responsáveis pelo mesmo e publicado com a autorização de Mário Bentes.

— Lucas Pimenta queria ser Martin Mystère. Não queria uma pistola de raios e sim a capacidade de enrolar uma noiva da mesma maneira...