Ontem, 21 de agosto de 2012, o mundo dos quadrinhos perdeu mais um dos seus ilustres artistas.

O milanês Sergio Toppi falecera às vesperas de completar 80 anos.

Notável artista, Sergio começou sua carreira como ilustrador para a coleção Enciclopédia dei Ragazzi pela UTET Editora. Seus primeiros trabalhos como quadrinista foram publicados na Il Corriere dei Piccoli, de 1966 e fez parte dessa leva histórias como Il Mago Zurl (com roteiro de Carlo Triberti), uma biografia em quadrinhos de Pietro Mizza e vários relatos histórico e de guerra na série Grandi Avventure di Pace e di Guerra, esta última em colaboração com o escritor Milo Milani.

Uma das obras mais destacada da sua carreira é Sharaz-de, a sua versão para o clássico da literatura mundial, As Mil e Uma Noites.

Toppi também colaborou com diversas publicações, na década de 80 trabalhou para as revistas Corto Maltese, l'Eternauta, Ken Parker Magazine, Comic ArtMagic Boy e muitos outros títulos do mercado francês e italiano. Na Itália, desenhou para a Sergio Bonelli Editore (SBE) Julia (no Brasil J. Kendall – As Aventuras de uma Criminóloga), Martin MystèreNick Raider.

Influência para artistas renomados como Frank Miller, Bill Sienkiewicz e Walter Simonson, Sergio Toppi deixou sua marca no mundo dos quadrinhos trazendo novas formas de leitura e diagramação.

Confira a seguir uma entrevista realizada com o quadrinista em 2008 (infelizmente não consegui encontrar uma versão com legenda)

Descanse em paz, mestre Sergio!

— Adalton nasceu no último dia de uma lua cheia, mas acha que isso não tem nenhuma relação com a sua vida; começou comprando quadrinhos por puro modismo - uma edição da Turma da Mônica parodiando Jurassic Park; sua primeira compra consciente foi a edição nº 01 de Batman: A queda do Morcego, ainda formatinho. Acredita que irá terminar a graduação em Letras antes da catástrofe de 2012 e daqui até lá está estudando parte das traduções intersemióticas das peças de Shakespeare já produzidas. E nos interlúdios, tenta produzir roteiros a partir idéias rabiscadas em antigos pedaços de papel.