Três Quadrados – Guido, Sérgio e Edimário – se juntam para indicar (ou não) suas últimas leituras. E olha que leram coisa pra caramba.

QaQ recomenda

Scarface, de Armitage Trail e Christian de Metter. O livro original, de Armitage, conta a história de Tony Guarino, gangster treinado em todas as artes do assassinato pelo governo. A obra que marcou época, definiu o gênero na literatura e inspirou dois filmes homônimos no cinema agora chega em grande estilo na nona arte. Christian conseguiu adaptá-la com uma grande narrativa e ilustrações bonitas e adequadas. Chega ao Brasil pela editora Globo. (Guido)

Ditadura no Ar 2. A história da busca de Félix pela comunista de butique Nina esquenta e nosso herói come o pão que o diabo amassou. Quadrinho da melhor qualidade. (Sérgio Barretto)

Vertigo 29 (Panini) A interessante série O Homem do Espaço (Azzarello & Risso) começa; Em Escalpo tem início o arco Mundo Roído; Em A Casa do Mistério começa o arco Sob Nova Direção; Hellblazer vem com Contradições; e em Vampiro Americano temos a primeira parte de A Fera da Caverna. O Mix continua equilibrado e com o início de 4 novos arcos é uma excelente oportunidade para novos leitores. (Sérgio Barretto)

Os Mortos Vivos vol. 6. Se você não esteve morto-vivo nos últimos dois anos já deve ter ouvido falar da série The Walking Dead e dos quadrinhos nos quais ela se inspirou. A HQM Editora vem publicando os arcos da série desde o início e este sexto volume mostra as desventuras de Rick e sua turma nas mão do temido Governador. (Sérgio Barretto)


100 Balas – Samurai. Este é o oitavo volume da saga de Azzarello e Risso (no Brasil a Panini está publicando em encadernados) e pra mim, que venho acompanhando desde o princípio, foi o mais confuso. Isso por que ele fecha muitas pontas abertas em outros arcos e tive que cavar um montão de referências da minha combalida memória – mas ainda assim está muito bom, vale a pena. (Sérgio Barretto)

A Torre Negra – A Queda de Gilead 4 de 6. Não canso de elogiar esta série, especialmente por complementar os livros de Stephen King. Neste volume tem início a queda da mítica Gilead, que foi minuciosamente urdida nos volumes anteriores. (Sérgio Barretto)


Hellblazer – Origens vol.3. Esta série de encadernados apresenta as origens de John Constantine para os novos leitores e organiza a vida dos antigos, apresentando as histórias do mago em ordem cronológica. Neste volume conhecemos mais detalhes da tragédia de Newcastle, que assombra Constantine até hoje, e temos as primeiras histórias do arco A Máquina do Medo. (Sérgio Barretto)

Corto Maltese – A Juventude. As aventuras de Corto Maltese sempre são carregadas de referências históricas e costumam ser bem densas, mas acho que esta bate recorde. Ainda assim o tratamento de altíssimo nível dado pela Nemo à edição, junto com a narrativa hábil de Pratt, fazem desta HQ uma ótima leitura. Participação especiald e Jack London. (Sérgio Barretto)

Loucas de Amor. Não é uma HQ, é um livro, mas faz par com Loucas de Amor em Quadrinhos e é uma leitura muito interessante. Pesada, afinal trata de mulheres apaixonadas por criminosos sexuais e assassinos em série, mas as pequenas HQs entre os capítulos são um excelente contraponto ao peso da leitura. Para saber mais leia a resenha do Lillo sobre esta obra. (Sérgio Barretto)

La Légende des nuées écarlates – La Ville qui parle au ciel (A Lenda das Lâminas Escarlates – A Cidade que Fala para o Céu): este álbum francês nos conta a história de um misterioso e desmemoriado espadachim, que retorna a sua antiga cidade atormentado por vozes em sua mente. Entretanto, ao encontrar uma jovem marioneta que denuncia o sistema obscuro do governo através de suas histórias, o cansado guerreiro se sente em paz pela primeira vez e faz de tudo para proteger a garota dos soldados da maléfica Lady Ryin. Uma obra de fantasia oriental do talentosíssimo Savério Tenuta. (Edimário)

Arthur, Uma Epopeia Celta – Merlin, o Louco. Umas das melhores adaptações da Lenda do Rei Arthur, esta obra francesa tem início com a origem do feiticeiro mais famoso da história ocidental e as lutas que antecederam o nascimento do Rei Arthur em solo inglês. Um trabalho muito bem orquestrado por David Chauvel e com excelente arte de Jerone Lereculley. (Edimário)

Para dar uma olhada:

Universo DC n.° 1 – Os novos 52. O mix, que contém 7 histórias, saiu bem equilibrado. Achei duas bem fraquinhas (Gavião Negro e Sr. Incrível) e duas surpreendentemente boas (Omac / Nuclear). Confesso que comprei a revista por causa de Aquaman (Geoff Johns / Ivan Reis) e Mulher Maravilha ( Brian Azzarello / Cliff Chiang), mas ambas acabaram me decepcionando um pouco nesta primeira edição. No conjunto fiquei satisfeito. (Guido)

Lex Luthor – Anel Negro vol. 1 e 2. Imagino que comprei o primeiro volume pelo mesmo motivo que um montão de gente: A irmã mais velha de Sonho, Morte, estava na capa – e tendo comprado o primeiro volume naturalmente comprei o segundo. A história não é das piores se você gosta do Nêmesis do Homem de Aço, mas também não é nada excepcional – vá lá por conta e risco. (Sérgio Barretto)

Grandes Heróis Marvel 11 – Surpreendentes X-men – Monstros em Tóquio. Uma historinha boa de ler, com Ciclope, Emma Frost, Wolverine e Armadura. Vale dar uma olhada especialmente pelos R$ 5,50. (Sérgio Barretto)

Ultimate Marvel – Capitão América – abril 2012. O idealismo do Capitão Ultimate se choca com o pragmatismo esquizóide da versão Ultimate do Bazuca, aquele inimigo do Demolidor que tem uma bandeira dos Estados Unidos tatuada no rosto e é um refugo do Projeto Super Soldado (que criou o Capitão América). Já li o final algumas vezes e ainda não sei se é toscamente idealista ou se tem um humor do mais alto refinamento, mas acho que vale a pena dar uma olhada. (Sérgio Barretto)

Annihilators 01 a 04. Após os eventos ocorridos nas sagas Domínio de Reis e Imperativa Thanos, os maiores peso-pesados do universo espacial da Marvel se juntam para formar um grupo de contenção contra crises cósmicas. Nesta mini-série, Quasar, Bill Raio Beta, Gladiador, Ronan – O Acusador e o Surfista Prateado se juntam aos cavaleiros cósmicos galadorianos e tentam impedir o retorno da raça dos Espectros. Além disso, as edições trazem uma história paralela da famosa dupla Rocket Raccoon e Groot em busca da verdadeira origem do rabugento guaxinim espacial. Roteiros da talentosa dupla Dan Abnett & Andy Lanning para as duas histórias. Já no traço, Tan Eng Huat acaba sendo o ponto fraco dos Aniquiladores, enquanto Timothy Green II se destaca na história dos ex-guardiões do espaço. (Edimário)

Para passar longe

Superman n.º 1. Mais um título da nova DC que resolvi experimentar. A primeira história, de George Pérez, é fraquinha e não me cativou. Não sou fã do personagem, e esperava mais do que meras trocas de sentimento pelo Planeta Diário e cenas de ação simples, que compõe as mais tradicionais histórias do homem de aço. Mais do mesmo…. Quanto à segunda história, Supergirl, é simplesmente a pior história que já li em um bom tempo. Extremamente boba e chata. Já a terceira, que foi a que realmente me fez comprar o gibi (Grant Morrison / Rags Morales), melhora um pouco o nível do mix, mas não chega a ser grande coisa. É certo que o trabalho do escocês só pode ser avaliado como um todo, mas depois do que vi em All Star Superman, e o que aprendi sobre mudanças em Novos X-Men, esperava mais do que resgatar o espírito rebelde do personagem da era de prata. Se agora o Superman é um fora da lei, como será a interação dele com Batman? Paga pra ver? Achei a fase do Morisson no Batman um pouco decepcionante e devo pular esta… (Guido)

 

 

— Não gosta de falar sobre si mesmo, mas a sua orelha queima quando estão falando dele.